Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

 

 

 

 

 

500 g de açúcar

250 g de farinha

10 ovos

uma colher e meia de chá de fermento

sumo e raspa de 2 laranjas

meio copo pequeno de vinho do Porto

 

 

 

 

 

Batem-se as gemas com o açúcar, com a batedeira, até se obter uma gemada consistente.

De seguida, juntam-se as claras em castelo bem firme.

Depois a farinha com o fermento, o sumo e raspa da laranja com o vinho do Porto.

Forra-se uma forma com manteiga, polvilhada de farinha.

Verte-se o preparado para dentro da forma e leva-se a cozer ao forno, a uma temperatura de cerca de 150º - 200º.

Se pretender mais húmido, não se deixa tanto tempo no forno.

Este bolo, é tipo massa de pão-de-ló.

Pode servir-se com chocolate derretido, em cima, ou outro creme que se gostar.

 

 

 

 

(Tina)

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


Bacalhau com natas

por Tina, em 31.03.09

 Receita para 6 pessoas

  2 dl de azeite

2,5 dl de leite

4 postas grandes de bacalhau demolhado

2,5 dl de natas

2 cebolas grandes cortadas às rodelas finas

1 colher de sopa de maisena

1 colher de sopa de manteiga

2 ovos

piripíri ao gosto

pimenta a gosto

3 dentes de alho cortados

sal q.b

 

 

                     

 

 

Coze-se o bacalhau, limpa-se de peles e espinhas e desfaz-se às lascas.

Numa caçarola larga, temos o azeite com as cebola, o alho e deixa-se refogar até ficar tudo desfeito (não deixar queimar).

Junta-se o bacalhau e deixa-se refogar um pouco mais.

Á parte, faz-se um creme (tipo bechamel), com o leite, o piripíri, a farinha maisena, a manteiga, o sal e gemas (misturar tudo em frio).

Leva-se ao lume este preparado a engrossar e reserva-se.

Cortam-se as batatas aos cubos ou palitos pequenos e fritam-se (mais cozidas que fritas).

 

 

 

Acrescenta-se ao preparado da caçarola, as batatas, as natas e o creme tipo bechamel.

Rectifica-se o tempero.

Por fim, juntam-se as claras batidas em castelo.

Leva-se por instantes ao lume para as claras cozerem um pouco.

Mistura-se tudo e verte-se num tabuleiro.

Polvilha-se de pão ralado ao de queijo ralado e, só na hora de servir, é que se leva a corar (gratinar) no forno (ligar só a parte de cima do forno).

Cuidado para não tostar demais.

 

Acompanhar com uma salada de alface e nozes ou amêndoas cortadas aos bocados, temperada com molho de iogurte.

 

 

 

 

(Tina)

 

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

 

Ingrediente para a massa

 

12 g de açúcar

65 g de manteiga

125 g de farinha

2,5 dl de água

3 ovos grandes ou 4 pequenos

umas pedrinhas de sal

 

 

Creme chantilly

 

4 dl de natas

1 dl de leite

80 g de açúcar

uma gotinha de essência de baunilha

 

 

 

 

Creme de chocolate

 

150 g de chocolate em tablete

1 colher de sopa de natas

1 dl de água

 

 

 

(fondue para chocolate) 

 

Massa dos profiteroles

 

Ferver 2,5 dl de água com o sal, o açúcar e a manteiga.

Retirar do lume e juntar a farinha de uma só vez.

Misturar bem com a colher.

Levar de novo ao lume a cozer, até que a massa se separe da colher e do tacho.

Retirar de novo do lume.

Misturar os ovos, um a um.

Reservar um dos ovos para pincelar (que deve ser batido com um garfo até obter gemada).

 

 

 

 

 

 

Misturar o preparado anterior muito bem, com os ovos que vai adicionando, até obter uma massa homogénea.

Colocar dentro duma seringa de pasteleiro o preparado obtido, de preferência, com um orifício canelado, com cerca de de cinco milímetros de diâmetro.

Num tabuleiro untado de manteiga e polvilhado de farinha,  colocar os profiteroles, do tamanho de meia noz.

Pincelar com o ovo reservado.

Cozer em forno médio (cerca de 200º), durante vinte minutos.

 

Creme

 

Preparar o chantilly, com as natas e com o leite até obter um creme consistente, firme. (batendo com uma batedeira, com cuidado para não passar a manteiga).

Juntar o açúcar e a gota de essência de baunilha.

 

 

 

 

 

Chocolate

 

Derreter a tablete de chocolate com 1 dl de água, em lume brando.

Levar a ferver, mexendo sempre e bem.

Retirar do lume quando estiver completamente derretido.

Junte, com cuidado, as natas e deixe arrefecer.

Cobrir o tacho e reservar.

 

 

Quando os profiteroles estiveram frios, cortar de lado e enchê-los (recheá-los) de chantilly, usando a seringa.

 

 

Colocar os profiteroles em montinhos num prato e poder-se-á salpicá-los de açúcar pilé (ao gosto de cada um).

 

Servir, molhando-os no chocolate que se encontra a derreter, sempre quentinho, no fondue.

No caso de não ter o fondue de chocolate, poderá fazê-lo com uma molheira, onde verterá o chocolate quente.

 

 

Bem Bom !!!!!!!!

Molinhos e Fofinhos e quentinhos !!!!!!

 

Bom Apetite !!!!!!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Tina e Mariana - minha filha) 

 

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


Arroz de coelho

por Tina, em 27.03.09

 

 

 

 

 

 

 

1 coelho limpo

azeite q.b.

sal a gosto

2 cebolas médias

6 dentes de alho

2 colheres de polpa de tomate

2 copos de vinho maduro tinto

piripíri

uma folha de louro

1 raminho de salsa

1 raminho de coentros

6 chávenas de água

2 chávenas de arroz carolino

4 rodelas de salpicão ou chouriço

 

 

 

 

 

Começa-se por picar a cebola e os alhos para um tacho, onde já se juntou o azeite (que deve cobrir o fundo do tacho).

Deixa-se refogar um pouco, mas não deve deixar queimar a cebola e alhos.

Junta-se o coelho cortado aos bocados, e umas rodelas de salpicão ou chouriço.

Acrescenta-se o sal, o piripíri e  a folha de louro, a salsa e coentros.

Deixa-se refogar lentamente e vai-se acrescentando, aos poucos,  o vinho e a polpa de tomate.

Continua a refogar e,  quando o coelho estiver bem estufado, junta-se a água, de preferência, quente.

Rectificam-se os temperos.

Quando a água estiver a ferver, junta.se o arroz.

Leva-se, de novo, a cozer.

Este arroz deve ser malandro. Por conseguinte, se verificar que a água evaporou bastante, vá acrescentado, com cuidado, (para não ser em exagero), um pouco mais de água quente.

 

Bom apetite !!!!!!!

 

 

 

 

  

 

(Tina)

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


Cotovelos com gambas e coentros

por Tina, em 27.03.09

 

 

 

Receita para duas três pessoas

 

 

Meio pacote de massa de cotovelos

Um pacote de miolo de gambas das grandes (ou pacote e meio, depende do apetite)

Azeite q.b.

10 dentes de alhos

sal a gosto

piripíri q.b.

um molhinho de coentros frescos

10 rodelas de chourição vermelho cortado aos cubinhos pequenos

 

 

 

Num tacho com azeite a cobrir o fundo, acrescentam-se os alhos laminados, o sal, piripíri e o chourição.

Deixa-se refogar um pouco, não deixando queimar os alhos.

Juntam-se as gambas lavadas e escorridas de água.

Refoga um pouco mais.

Quando pronto, junta-se a massa de cotovelos, que já foi cozida (al dente),  em água a ferver, com sal e um fio de azeite.

Deixa-se cozinhar um pouco mais, agora, com o molhinho de coentros incluído no preparado.

Por fim, rega-se, de novo, com um fio de azeite.

Cozinha um pouco mais e serve-se enfeitado com coentros.

 

 

 

 

(Tina)

 

 

 

  

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

 

massa filo

fatias de bolo seco ou de pão de ló

morangos q.b.

6 pacotes de natas

açúcar a gosto para o chantilly

pepitas de chocolate

 

 

 

 Forra-se uma tarteira com folhas de filo no fundo e a toda a volta, da maneira que se quiser.

Leva-se ao forno a cozer a massa.

Quando cozida, retira-se do forno e deixa-se arrefecer

Se conseguir retirar a massa com cuidado da forma e colocá-la num prato, óptimo. Se não conseguir, pode preparar a sobremesa dentro da forma.

Reserve a forminha de massa filo.

 

 

 

 

À parte,  juntam-se três pacotes de natas com açúcar, ao gosto, e bate-se até obter chantilly. (Cuidado, para não passar a manteiga).

A estas natas, acrescentam-se alguns morangos que foram previamente lavados e triturados no centrifugador.

 

Reservam-se alguns morangos inteiros.

 

Com as restantes natas, volta-se a fazer chantilly, este sem mistura de morangos.

 

Então, começa-se por forrar a forminha de filo, com  fatias de pão de ló ou bolo seco.

De seguida, cobrem-se as fatias com o chantilly de morango.

Volta-se a cobrir com bolo ou pão-de-ló.

Depois, com chantilly normal.

Por fim, enfeita-se com morangos e um pouco de pepitas de chocolate.

 

Leva-se ao frigorífico até à hora de servir.

 

 

 

 

Com esta sobremesa,  podem aproveitar-se sobras de bolos secos e pode variar-se no conteúdo.

Em vez de chantilly de morangos, pode ser de ananás ou outro fruto.

Pode acrescentar, também, em camadas, nozes, amêndoas, bolacha de baunilha ralada, enfim, frutos secos, chocolate lascado, etc..

 

 

  

 

(Tina)

 

 

 

 

 
BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


BOLO CHIFFON DE CHOCOLATE

por Tina, em 13.03.09

 

 

 

 

300 g de açúcar

175 g de farinha

1 colher de chá de fermento

1/2 chávena de chá de óleo

1/4 de chávena de chá de água morna

1/2 chávena de chá de chocolate em pó

1 pitada de sal

7 ovos

 

Batem-se as gemas com o açúcar e a pitada de sal, até obter uma gemada consistente.

De seguida, junta-se o óleo, com cuidado, mexe-se e então acrescenta-se o chocolate que foi previamente dissolvido na água morna.

Está na altura de se juntar a farinha com o fermento.

Volta-se a mexer.

Por fim, envolve-se a massa com as claras em castelo bem firme.

 

Leva-se ao forno, com temperatura , cerca de 120º.

Para se ver se está cozido, utiliza-se o palito.

Vira-se para um prato grande, pois este bolo tem cobertura de chocolate.

 

 

 

Cobertura de chocolate

1 tablete de chocolate para culinária de cerca de 200 g

1 pacote de natas de 250 g

1 colher de sopa de manteiga

 

Num tacho, em lume muito brando, ou em banho-maria, levam-se todos os ingredientes a derreter, com cuidado e sempre mexendo com colher, até se obter um bom creme espesso, sem grumos.

Não aconselho a fazê-lo no microondas.

 

 

 

Pode enfeitar-se com chocolate lascado branco, ou outro, com pintarolas, com chantilly, enfim, ao gosto e imaginação de cada um.

 

 

 

 

(Tina e Mariana - minha filha)

 

   

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


BOLA DE CARNE À MARIA SALOIA

por Tina, em 13.03.09

 

 

 

1 kg de farinha

7 ovos inteiros

100 g de fermento padeiro

1 chávena de chá de água morna

1 chávena de chá de azeite morno

1 pedrinhas de sal

chourição, chouriço, presunto, salpicão, fiambre, presunto - a quantidade suficiente ao gosto

fatias de queijo  - cerca de 8

 

 

Dissolve-se o fermento padeiro na água morna, com as pedrinhas de sal.  

Junta-se a farinha, aos poucos e vai-se trabalhando cuidadosamente a massa, com as mãos.

Um a um,  e não à "Maria Saloia", vão-se acrescentando os  ovos, que não devem vir do frigorífico.

De seguida, junta-se o azeite morno, e continua a trabalhar-se a massa.

Se esta estiver muito líquida, pode juntar-se um pouquinho  (só) de farinha.

Trabalha-se a massa, até esta ficar homogénea e elástica.

Agora, cobre-se com um pano limpo e coloca-se o alguidar, onde ela foi trabalhada, num lugar sem correntes de ar, e sem frio.

Fica assim a repousar, cerca de 20 minutos, até levedar o suficiente para que cresça o dobro.

 

 

 

 

Forra-se um tabuleiro grande com manteiga e polvilha-se de farinha.

Cobre-se com uma camada fina de massa.

Como se trata de uma massa elástica, é fácil trabalhá-la, desde que se tenha sempre as mãos enfarinhadas.

De seguida, coloca-se em cima da massa uma camada de carnes cortadas em fatias finas e, de quando em quando, acrescenta-se uma fatia de queijo.

Todos os espaços devem ser preenchidos com  a carne, de maneira que a massa fique toda coberta.

 

A seguir, dispõe-se em cima das carnes outra camada fina de massa e assim sucessivamente.

A última camada deve ser de massa.

Pincela-se com um ovo batido e leva-se ao forno a cozer a 120º.

Está pronta, quando ao verificar-se com o palito, não vier agarrada massa crua.

 

 

 

(Tina)

 

   

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


GAMBAS EM ESPARGUETE FRITO

por Tina, em 13.03.09

 

 

 

GAMBAS EM ESPARGUETE

 

 

 

Dose para 2 /3 pessoas

 

250 g de esparguete

1 embalagem de miolo de gamba (ou se preferir mais)

10 rodelas de chouriço vermelho cortado aos quadrados pequenos

sal a gosto

coentros

salsa

azeite q.b.

1 malagueta de piripíri

12 dentes de alhos

 

 

 

 

Coze-se o esparguete em água a ferver, temperada de sal e um fio de azeite.

Retira-se, quando estiver "al dente", isto é, não muito cozida.

 

Entretanto. cobrimos o fundo dum  tacho com azeite, onde se juntaram os alhos laminados, o sal, e o chouriço.

Deixa-se refogar um pouco, sem deixar queimar os alhos.

Acrescenta-se  o miolo das gambas, o  piripíri, alguns coentros e algumas folhas de salsa.

Deixa-se refogar, mais um pouco e rectificam-se os temperos.

Junta-se este preparado à esparguete, acrescenta-se um fio de azeite e envolve-se tudo, deixando cozinhar mais uns minutos.

Serve-se bastante quente, guarnecido com folhas de coentros e salsa.

 

É óptimo este prato e faz-se muito depressa.

 

   

 

(Tina)

 

 

 

 









 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


GAMBAS MARRABENTA

por Tina, em 10.03.09

 

 

Gambas Picantes

 

dose para uma pessoa

 

 

6 a 8  gambas grandes

azeite q.b.

sal q.b.

piripíri q.b.

1 limão

 

Cobre-se o fundo dum tacho antiaderente, com azeite.

Colocam-se dentro as gambas lavadas, inteiras.

Temperam-se com sal e piripíri.

 

Tapa-se o tacho e deixa-se cozinhar durante algum tempo.

De quando em quando, mexe-se para cozerem de ambos os lados.

As gambas não devem ficar queimadas.

 

Servem-se quentes e podem ser regadas com sumo de limão, se preferirem.

 

Uma boa cervejinha geladinha a acompanhar......e Bom Apetite.....

Não esquecer que a quantidade de piripíri é de acordo com o gosto....mas, convém que  estas sejam um pouco picantes.

 

 

  

 

 

(Tina)

 

 

 

 









 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/2