Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Papo Cheio

Meus Aromas e Sabores

Papo Cheio

Meus Aromas e Sabores

Sab | 24.10.09

compota de melão "reles"

Tina

 

 

 

 

 

 

Bem, é melão, sim!....

Mas ao tomar o gosto....apre! !!!!

Que gosto!

Desconsolada fiquei, pois gosto muito de melão!

Parecia mais uma cabaça!

Era azedo e sem sabor algum!...

Então, meu marido disse: - melão "reles"....

Eu então pensei: - Aqui em casa nada se deita fora, tudo se transforma em algo bom!.....

Foi quando  pensei numa compota de melão e, meu marido acrescentou de novo: - melão"reles"...

Então, cá vai....... uma

"COMPOTA DE MELÃO RELES"

Agora, feito, ele diz:  - Está doce que até enjoa!

E eu afirmo: - Mas sempre dá para comer nestes serões de Inverno junto à lareira com uma tostinha e um chazinho quentinho gostoso!

 

  

 

 

 

 

1 kg de melão

700 g de açúcar

1 casca de limão

2 paus de canela

2 cravinhos da Índia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Descasca-se o melão, corta-se aos cubos e reserva-se envolvido em 300 g de açúcar.

Leva-se ao lume o restante açúcar, com a canela, o cravinho e a casca de limão.

Deixa-se aquecer um pouco, em lume brando, o açúcar, sem deixar queimar.

Acrescenta-se o melão e açúcar restante e leva-se, de novo, a  lume brando.

 

 

 

Deixa-se cozinhar durante algum tempo, sempre em lime branco, para não verter para fora.

Quando o melão estiver bem cozido, quase desfeito e o preparado estiver como compota, retira-se do lume e deixa-se arrefecer.

Verte-se em frascos, polvilha-se com açúcar a parte de cima para não ganhar bolores e tapa-se com tampa.

 

 

 

Bem, não sei se existe outra maneira de confeccionar compota de melão.....apenas sei que se deve ter em atenção para o melão não se desfazer completamente, pois ele tem a tendência de se transformar em líquido.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Tina)

 

 

 

música: Leona Lewis - Better in Time

 http://www.youtube.com/watch?v=8zlt57Q7ZVU

BLUMEN
Sex | 23.10.09

rojões confeccionados com azeite

Tina

 

 

 

 

 

Sei que, normalmente, os rojões são um prato confeccionado com gordura de porco (pingue, banha de porco), mas também os costumo fazer com azeite e ficam óptimos.

Desta forma, é utilizada uma gordura vegetal, que é mais saudável.

 

 

(receita para cerca de 4 pessoas) 

 

2 kg de carne de porco própria para rojões (ao gosto de cada um, com ou sem osso, ou misturados)

sal q. b.

cominhos q. b.

1 copo de vinho branco

azeite q. b.

1 colher de água fria

salsa para enfeitar

se gostar um pouco de piripíri

se gostar um pouco de pimenta

1 folha de louro

 

Corta-se a carne em bocados não muito grandes (também se pode fazer com pedaços grandes, mas particularmente, aprecio os rojões pequenos).

Numa frigideira antiaderente, cobrimos o fundo com azeite e até podemos juntar um pouco mais.

Juntamos os pedaços de carne, o sal, o vinho, a água, os cominhos, a folha de louro e restantes condimentos se pretendermos.

Levamos ao lume moderado e cobrimos com tampa durante 15 minutos.

De seguida, deixamos a frigideira destapada a cozinhar em lume um pouco mais elevado.

Vamos controlando a confecção dos rojões, para não se queimarem e ao mesmo tempo, vamos mexendo com colher.

Quando prontos, servem-se enfeitados com um raminho de salsa, acompanhados de arroz branco, arroz de feijão (arroz malandro...hum!!!......que bom !!!),batata cozida, frita ou alourada, conforme o gosto de cada um.

Uma saladinha também ficará óptima aqui como acompanhamento.

Irão reparar que não foi necessária a gordura do animal, pois a própria carne já tem a sua gordura que se vai libertando, quando da confecção.

 

 

(Tina)

 

 

 música: Cliff Richard - Somewhere over the rainbow (What a wonderful World)

http://www.youtube.com/watch?v=YVranrmetMY

 

BLUMEN
Qui | 15.10.09

Compota de chuchu

Tina

 

 

 

 

1 kg de chuchu (peso sem casca e caroço)

3 quartos de kg de açúcar = 750 g

1 pau de canela

1 casca de limão

1 cravinho da Índia

 

 

Cortam-se  os chuchus em quartos, descaroçam-se,  limpam-se  de casca e lavam-se.

Ter em atenção aos que têm picos.

Se não quiser usar luvas, pode sempre, com a mão esquerda segurar o chuchu com um pano e com a direita a faca.

Pesa-se de seguida.

 

 

 

Reduzem-se os chuchus em Juliana com o utensílio próprio, (podem ver o utensílio no slideshow incluído neste post, ao fazer um clique com o rato no texto, na frase "compota de chuchu", escrito a encarnado), o mesmo que utilizamos para a cenoura.

Junta-se o chuchu com o açúcar num tacho e envolve-se tudo, até o açúcar ficar dissolvido.

 

 

 

Acrescenta-se a este preparado o pau de canela, a casca de limão e o cravinho.

Mistura-se tudo muito bem.

Reserva-se  durante alguns minutos, até obter líquido.

 

 

 

De seguida, leva-se ao lume brando e vai-se controlando sempre a cozedura, assim como mexendo com a colher.

Quando estiver no ponto certo, retira-se do lume e guarda-se a compota de chuchu em frascos próprios.

Para não ganhar bolores, pode polvilhar-se a parte de cima com um pouco de açúcar e fechar em frascos hermeticamente.

 

Atenção:  Para se saber o ponto certo, retira-se uma pequena porção para um prato e deixa-se arrefecer um pouco.

Com um garfo, tentamos "abrir estrada", e quando o conseguirmos e  estiver com consistência de compota, (sem ficar dura), já se encontra  confeccionada.

 

 

 

Ter em atenção, pois se passar  o ponto exacto, ficará dura e impossível de ser utilizada.

 

O sabor e aparência desta compota é muito idêntica à compota de gila (ou chila), acreditem....!

E muito mais fácil de se confeccionar, isto é, sem o problema de se obter uma compota com sabor a peixe, como por vezes acontece, ao confeccionar a de gila, se não se souber exactamente o que fazer para isso não acontecer.

 

Oportunamente farei a de gila e trá-la-ei aqui, prometo!

 

 

 

(Tina)

 

 

 

BLUMEN