Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Papo Cheio

Meus Aromas e Sabores

Papo Cheio

Meus Aromas e Sabores

Qui | 18.11.10

bola de carne enrolada ou redonda

Tina

 

 

 

 

 

 

Bem, já não é a primeira vez que publico aqui bolas de carne...

 

Porém, hoje confeccionei uma de forma diferente do habitual e achei-a óptima!

Bola de carne enrolada ou redonda...

A receita é de minha filha Mariana, uma cozinheira exímia que tenho cá em casa... boa doceira, perfeccionista, com gosto naquilo que faz, pois tudo o que confecciona é com amor...e, além de tudo, todos os conhecimentos que tem acerca do assunto são empíricos...nunca frequentou qualquer curso de culinária!

 

Algumas das receitas que cá publiquei são dela!

 

- Ingredientes -

 

- Para a massa -

1 kg de farinha trigo

40 g de fermento padeiro

100 g de manteiga

100 ml de azeite

250 ml de leite

6 ovos

1 ovo para pincelar

sal a gosto

 

- Carnes para o recheio -

250 g de bacon fatiado

250 g de queijo fatiado

250 g de "chourição "

250 g de fiambre fatiado

 

(Pode-se acrescentar outro tipo de enchidos a gosto)

 

 

 

- Preparação do "crescente"-

Juntar o fermento padeiro (desfazendo-o bem) num pouco de leite (da quantidade que temos em cima), com um pouco de farinha.

Deixar descansar (levedar) um pouco até crescer um pouco.

 

 - Preparação da massa -

Colocar a restante farinha num recipiente grande e abrir um buraco no meio.

Acrescentar o crescente, a manteiga derretida no leite, os ovos batidos, o sal e o azeite.

Mexer bem até obter uma bola consistente.

Deixar levedar, colocando a bola num recipiente tapado e livre de correntes de ar, durante cerca de 4 horas.

Logo que esteja lêveda, estender a massa numa bancada polvilhada de farinha  em forma de rectângulo grande (uma boa quantidade de massa).

Colocar as carnes em camadas, bem como as folhas de queijo, enrolar cuidadosamente a massa, com o feitio dum rolo.

Levar ao forno num tabuleiro forrado de papel vegetal, untado de manteiga e polvilhado de farinha.

Pincelar com ovo batido.

A dobra do rolo deverá ficar por baixo.

O rolo deve cobrir completamente as carnes para que não fiquem à vista!

 

 

 

Atenção: Esta quantidade de massa dá para confeccionar duas bolas.

 

 

 

 

 

 

BLUMEN
Ter | 16.11.10

regueifa

Tina

 

 

 

 

 

Este visual não é o duma regueifa, com buraco no meio... como as originais regueifas...

Deveria ter esse "jeito", concordo, mas como gosto de sentir no  meio da massa aquela "massa húmida"... acabei por lhe dar a forma duma fogaça...

Porém,  não é muito diferente, diga-se de passagem!

Regueifas e fogaças são confeccionadas quase da mesma forma..

Um dia destes, trago aqui uma regueifa de canela, prometo... e com feitio de regueifa, com buraco no meio!

  

   

  

  

50 g de fermento padeiro

300 g de açúcar

1 kg de farinha trigo

sal a gosto

200 g de manteiga

250 g de leite morno

6 ovos à temperatura ambiente

1 ovo para pincelar

1 colher de café de canela

raspa de 1 limão (se  pretender pode ser de laranja, eu prefiro limão)

  

   

                                                                  

Desfazer o fermento padeiro numa chávena com um pouco de leite morno (cerca de meia chávena de leite dos 250 ml).

Depois de  desfeito, juntar um pouco de farinha e  mexer até se obter uma massa tipo dos bolos (nem muito sólida, nem muito líquida). Reservar tapado.

Isto é o crescente!

 

À parte, noutro recipiente, verter a farinha e abrir um buraco a meio onde se colocam todos os outros ingredientes. O açúcar, a canela, o sal, a raspa do limão, os ovos batidos,  o leite morno onde se juntou a manteiga e o crescente que já tinha preparado.

 

Envolver bem todos estes ingredientes, misturando-os com a farinha, com a mão ou colher.

(Eu misturo, primeiro com colher e depois com as mãos vou trabalhando a massa, de forma a obter uma massa uniforme, homogénea e consistente).

Fazer uma bola.

No caso da massa ficar muito líquida, pode juntar-se um pouco de farinha... o que não deverá ser necessário!

Polvilhar a bola com um pouco de farinha (pouco) e cobrir com um pano.

Deixar levedar em lugar seco, fora de correntes de ar.

Se se preparar a massa de noite, deve levar-se ao forno a cozer só pela manhã.

Se se fizer de manhã a massa, deve-se cozinhar pela noite.

Portanto, o tempo para "levedar" não deverá ser inferior a 5 horas!

 

Quando levedar, polvilhar uma bancada de farinha e tender a regueifa ou regueifas (pois esta massa dá para duas regueifas se tiver buraco no  meio).

Pode fazer-se do feitio que se pretender.

Pode até prepará-la já no próprio tabuleiro que vai ao forno.

 

Colocar em tabuleiro untado de manteiga e polvilhado de farinha ou então em cima de papel vegetal untado.

Pincelar com ovo batido e polvilhar por cima um pouco de açúcar.

Levar a cozer ao forno que já está pré-aquecido a 200º.

Quando introduzir a regueifa no forno baixar a temperatura para 160º.

Colocar no tabuleiro inferior para que a massa coza bem por baixo e não queime demasiado em cima.

 

 

Comer às fatias, torradinha, com compota, geleia, manteiga, queijo e acompanhar de um chazinho gostoso.... Por mim, pode ser de erva cidreira...Ou então um café com leite, um cafezinho leve ou apenas leite...

Como pretenderem!

Bom proveito!

 

 

 

 

BLUMEN
Qui | 11.11.10

sapateira recheada

Tina

 

  

Aqui vai a receita!

  

1 sapateira

miolo de um papo seco (pão de trigo)

2 ovos cozidos

sal a gosto

piripíri a gosto

2 a 3 colheres de sopa de maionese

1 colher de sopa de mostarda

1 colher de sobremesa de ketchup

  

    

 

 

Depois de cozida, (em água fervente, sal, e piripíri a gosto, durante cerca de 5 minutos),  retira-se da água e deixa-se arrefecer.

Retiram-se as patas, e abre-se, deixando o casco separado do restante.

Retira-se tudo o que recheia o casco, inclusive ovas, se tiver, e coloca-se dentro dum recipiente.

Esmagam-se, à parte, os ovos cozidos, com um garfo (depois de se cortar em pequenos bocados as claras cozidas).

Junta-se a maionese, sal a gosto, um pouco de piripíri, o miolo do pão desfeito, a mostarda e o ketchup. 

Agora, acrescenta-se o recheio que foi retirado à sapateira.

Envolve-se tudo e vai-se desfazendo os pedaços maiores com garfo, até se obter uma papa consistente.

Se quisermos, podemos retirar, duma ou doutra pata, o miolo e acrescentar neste preparado.

Rectificam-se os temperos.

Há quem misture um pouco de cerveja, whisky e até pickles cortados aos bocadinhos pequenos.

Como não aprecio dessa forma, preparo-a desta forma mais simples.

 

 

Servir com tostas de pão, com ou sem manteiga para podermos barrá-las com o recheio da sapateira.

 

    

 

Bom apetite e cuidado com o "colesterol"! :-)

Acompanhar duma cervejinha geladinha... de uma... de duas..enfim, com moderação!

HUMMMMMMMMMMMMMM!.....

 

 

 

 

BLUMEN
Seg | 01.11.10

fofos de pão

Tina

 

Ontem, tinha em casa algum pão atrasado (papo seco) e habitualmente faço tostas, rabanadas diversas, ovos mexidos, pudim de pão, pão ralado... enfim, há sempre uma forma de aproveitamento de sobras de pão.

Mas...apeteceu-me algo doce... !

Algo diferente!

Lembrei-me de experimentar a confecção de uma espécie de fofos de pão, cobertos e açúcar e canela.

 

 

Tinha 6 pães

açúcar a gosto

1 pitada de sal

1 fava de baunilha

leite q. b.

1 pau de canela

canela em pó q.b.

1 casca de limão

8 gemas e 4 claras

canela em pó e açúcar para cobrir os fofos q. b.

óleo q.b.

 

 

 

Comecei por cortar o pão aos bocados, com tesoura de cozinha

 

 

Verti o leite para um tacho (cerca de 1 litro), juntei  a canela em pó, a fava de baunilha, o pau de canela, o açúcar (a gosto), a casca de limão, a pitada de sal e levei ao lume a aquecer um pouco.

Mergulhei o pão, nessa mistura durante algum tempo, de maneira a que o pão ficasse completamente desfeito.

Ao lado, numa taça, bati as gemas, com o claras até obter uma gemada consistente.

Comecei por coar o pão num coador. Retirei o pau de canela, fava de baunilha e casca de limão.

Com colher, espremi um pouco o pão , de forma a ficar com pouco líquido!

De seguida, juntei as gemas ao pão e  misturei esse preparado com as mãos.

Reservei.

Levei ao lume uma caçarola com bastante óleo.

Aqueci o óleo e fui introduzindo colheradas do preparado, mas de forma a não deixar ir com muito líquido.

Não fritei muitos de cada vez, pois como o pão tem fermento, eles tendem a crescer.

Retirei os fofos do óleo à medida que foram cozinhando.

Ter em atenção para não os não deixar queimar e ir virando de quando em vez, com garfo e colheres.

 Deixei escorrer em papel absorvente muito bem e fui substituindo o papel para  ficarem completamente escorridos de óleo. Por fim, passei pela mistura de açúcar e canela e coloquei num recipiente de servir à mesa.

 

BLUMEN