Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




SCONES

por Tina, em 16.02.15

 

fotografia (101).JPG

 

 

 

300 g de farinha

70 g de manteira derretida

2 colheres bem cheias de fermento em pó

1 pitada de sal

150 ml de leite

1 ovo inteiro

20g de açúcar

 

fotografia (98).JPG

 

Habitualmente costumo preparar a massa na máquina/batedeira elétrica.

 

Juntar a farinha, o fermento com o açúcar e o sal.

Em seguida, acrescentar a manteiga derretida, o ovo inteiro e o leite aos poucos.

Juntar tudo muito bem.

Retirar a massa do copo da batedeira.

Polvilhar a mesa com farinha e fazer uma bola com a massa.

Se quisermos podemos misturar na massa (quando se trata de scones para um aniversário de crianças), bocadinhos de chocolate.

Eles adoram e ficam muito bom.

Também podemos juntar na massa raspa de casca de laranja.

 

fotografia (96).JPG

 

 

A consistência da massa deve ser de forma a se poder trabalhar com as mãos enfarinhadas.

 

fotografia (97).JPG

 

Fazem-se bolinhas que se colocam num tabuleiro untado de manteiga e polvilhado de farinha.

Pincelam-se com ovo batido.

 

fotografia (99).JPG

 

Leva-se ao forno pré aquecido a 210º durante cerca de 15  minutos.

Quando prontos, servir com geleia, compota de frutos, manteiga, queijo, enfim, com o que quiserem e acompanhar dum chá.

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:


tarte de chuchu

por Tina, em 12.12.14

1512466_903144056362959_6938308751999409525_n[1].j

10846009_903144076362957_1652979172865377692_n[1].

10426212_903144096362955_8952492142755708760_n[1].

 

500 g chuchu
220 g açúcar
1 pau canela
Raspa de limão
1 colher sopa de vinho Porto
3 colheres de sopa bem cheias de farinha
2 colheres de chá fermento
3 ovos

 

10690222_903143879696310_2049245840234980952_n[1].

 Ter o forno pré aquecido a 180 graus

Cozer os chuchus descascados com uma pitada de sal e passar a varinha.

1470377_903143899696308_4952259044104075424_n[2].j

 Levar este preparado a ferver, ao lume, durante 20 minutos com o pau de canela , o açúcar, o vinho do Porto e a raspa limão.

10389278_903143916362973_8186424601744852344_n[1].

10590509_903143939696304_7945986905118851064_n[1].

 

10247462_903143949696303_7644807620743838944_n[1].

 Deixar arrefecer e juntar os ovos inteiros, a farinha, e o fermento.

10425424_903143963029635_3721009249736521989_n[1].

Untar uma tarteira com manteiga e polvilhada com farinha.

1454700_903143973029634_5940527654062291075_n[1].j

 Verter o preparado e levar ao forno durante 30 minutos.

10387334_903144009696297_1101655053754489497_n[1].

1907324_903144039696294_5934835109020640989_n[1].j

 Depois é só desenformar.... Deixar arrefecer e comer...

1555326_903144086362956_1344676510083544360_n[1].j

 Hummmmmmm...
Deliciosa....
Fácil de preparar !

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


creme de tapioca

por Tina, em 06.04.14

 

 

 

 

meia chávena de chá de tapioca

3 chávenas e meia de chá de leite

1 pau de canela

1 fava de baunilha

casca de limão

1 chávena de chá de açúcar

2 gemas passadas pelo coador

canela para polvilhar ou açúcar q.b. para polvilhar e queimar

 

 

 

 

 

 

Deixar de molho, dum dia para o outro, a tapioca em duas chávenas de leite.

Passado esse tempo, acrescentar o restante leite, o pau de canela, a fava de baunilha e a casca de limão.

 

 

Juntar o açúcar e levar ao lume, até a tapioca amaciar.

Ao lado,  num recipiente pequeno, juntar às gemas, um pouco de leite, mexendo sempre, para os ovos não cozerem.

 

 

 Acrescentar esta gemada ao preparado anterior e deixar no lume até engrossar um pouco.

 

 

 Servir em taças ou num único tabuleiro.

 

 

 Pode servir quente ou frio, polvilhado com canela ou se preferir, polvilhado com açúcar e queimado com o utensílio próprio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

 

 

Já apresentei aqui, em tempos um doce de dióspiro, mas hoje preparei uma compota um pouco diferente, na textura, no palador e forma de confecionar.

Com um pouco da minha imaginação, mas ficou ótima... já provei e dei a provar cá em casa e aprovaram/gostaram!
Como sempre, vou partilhar e mostrar algumas imagens, para adoçar o apetite...

 

 

 

 

Como sabem, o dióspiro é um fruto que é muito doce, por conseguinte, não necessita de muito açúcar na preparação da compota.

 

 

 

1 kg de polpa de dióspiro ( caqui, no Brasil)

600 g de açúcar

casca de 1 laranja ralada

1 colher de sopa de vinho de Favaios (ou então vinho do Porto)

1 pau de canela

casca de limão

2 cravinhos

 

 

 

 

 

Lavam-se os dióspiros, retira-se o miolo, pesa-se e junta-se ao açúcar.

Acrescentam-se todos os restantes ingredientes, em frio, e envolve-se tudo num tacho, muito bem misturado.

 

      

 

 

Leva-se ao lume moderado e, de quando em quando, vai-se mexendo com a colher.

Está pronto quando ganhar o ponto de compota.

Para se verificar esse ponto, basta colocar um pouco num prato, deixar arrefecer e se abrir estrada, já está confecionada a compota.

 

 

      

 

 

Guardam-se em frasquinhos próprios para este efeito.

Serve-se com bolachas ou qualquer espécie de queijo, nozes ou amêndoas.

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

ÉPOCA DAS CASTANHAS E DAS ABÓBORAS

 

Deixo aqui imagens de castanhas e de abóboras...

Imaginem o que podem confecionar com tudo isto!
Eu vou imaginando e partilhando aqui!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

Receita para cerca de 4 pessoas

 

1 pacote de batata palha, frita

1 pacote de miolo de camarão ou gamba

1 cebola grande laminada

3 dentes de alho laminados

azeite q.b.

sal a gosto

salsa q.b.

coentros q.b.

pimenta a gosto

6 ovos inteiros, batidos

azeitonas para guarnecer

 

 

 

Cobre-se o fundo dum tacho largo, com azeite, onde se misturam os alhos laminados,  as cebolas também laminadas, e o sal a gosto.

Deixa-se refogar um pouco, não deixando queimar a cebola e os alhos.

Junta-se agora o miolo de camarão ou gamba cozido e cortado aos bocados.

 

 

Refoga um pouco mais, mexendo sempre.

Quando estiver bem refogado, acrescenta-se a batata palha.

De novo, mexe-se o preparado e juntam-se os ovos batidos.

Rectifica-se o tempero e, dependendo do gosto, pode juntar-se um pouco de pimenta (pouca)

 

 

Pode ser servido numa travessa, guarnecido com coentros, salsa e azeitonas.

 

 

 

(como não tinha coentros e salsa, só acrescentei azeitonas)

 

 

 

Gambas com cogumelos e bacalhau à Braz 

 

Deixo aqui também outra versão de gambas com cogumelos e bacalhau à Braz.

acrescentei aos ingredientes acima, uma lata de cogumelos laminados, duas postas pequenas de bacalhau cozido, esfiado e mais dois ovos inteiros batidos.

 

Como quando confecionei este prato já tinha coentros e salsa picados, enfeitei com um pouco, além de os incluir dentro da massa, enquanto juntava os ovos.

Ficam as imagens.

 

 

BOM APETITE!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


COELHO À CAÇADOR À MINHA MANEIRA

por Tina, em 20.05.13

 

 

 

 

1 coelho
Meio litro de vinho maduro tinto
Azeite
6 cebolas pequenas/muito pequenas, mesmo, inteiras, descascadas
6 dentes de alhos inteiros, descascados
Sal ao gosto
1 malagueta de piripíri
Uma chávena de chá de tomate pelado ou 3 tomates pelados maduros, sem casca
1 folha de louro
1 raminho de salsa
 
 
Começa-se por juntar todos os ingredientes, antes de levar ao lume, num tacho fundo.
Primeiro o azeite, que deve cobrir o fundo do tacho, com uma altura de cerca de 1 cm/ 1, 5 cm., as cebolinhas inteiras, os alhos inteiros com um golpe no meio, o  piripíri, o sal, o vinho (que deverá ser de boa qualidade) o tomate pelado (ou 3 tomates maduros sem casca - que são mergulhados durante uns segundos dentro de água a ferver, para assim se poder retirar com facilidade a pele), o louro e a salsa.
De seguida,  o coelho devidamente limpo e cortado aos pedacinhos.
 
 
 
Leva-se ao lume a cozinhar, em lume brando, tapado.
Vai-se mexendo de quando em quando para não agarrar ao fundo e se for necessário, junta-se um pouco  mais de vinho.
Está pronto quando o molho engrossar e o coelho estiver com aspeto castanho.
Antes de desligar o lume, retificar de sal e outros temperos, se for caso disso.
    
 

 
Quando estiver tudo bem apurado e cozinhado,  pode retirar-se  do lume e servir-se acompanhado de batatinha cozida, arroz de forno/arroz branco ou tostinhas de pão.
 
 
BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


arroz de bacalhau com feijão

por Tina, em 24.01.13

Tinha umas sobras/sobejos de bacalhau cozido no congelador - então pensei que um arroz de bacalhau ficaria óptimo com essas sobras.
Lembrei-me de modificar um pouco o sabor do arroz que habitualmente preparo.

Encontrei no congelador alguns pimentos cortados, de várias cores, um pouco de coentros, salsa picada, feijão cozido e tomatinhos anões.

 

 

(prato para cerca de 6 a 8 pessoas - dependendo daquilo que cada um come, claro!)

 

cerca de 2 postas de bacalhau

3 tomatinhos anões 

um pouco de coentros picados

um pouco de salsa picada

1 rodela de salpicão cortada aos bocados

azeite q. b.

sal q. b.

1 malagueta de piripíri

uma chávena de chá cheia de tiras de pimentos (usei verde e encarnados)

uma folha de louro

1 chávena e meia de chá de arroz carolino

4  chávenas e meia de chá de água

1 cebola cortada às rodelinhas pequenas (não cebola picada)

2 dentes de alho laminados

meio cálice de vinho do Porto

cerca de 2 chávenas de chá de feijão cozido (este era encarnado)

 

 

 

 

 

Vou preparar este prato todo em frio, pois é mais saudável e fica da mesma forma bom.

 

 

 

 

 

Cobrir o fundo dum tacho com azeite.

Juntar a cebola, os alhos, o louro, os pimentos, os tomatinhos, o salpicão, os coentros, a salsa, o bacalhau cortado aos bocados, sem espinhas e peles (não esfiado), o piripíri, enfim, todos os ingredientes que acima referi, excepto o sal, vinho, água, arroz e feijão.

 

 

        

Levar ao lume brando, tapado, e deixar cozinhar até alourar um pouco o bacalhau e amaciar todos os outros ingredientes.

Juntar o vinho e voltar a tapar.

Deixar refogar um pouco mais.

Quando este evaporar, juntar a água quente e temperar com sal a gosto.

Deixar levantar fervura e, de seguida, juntar o arroz e o feijão cozido.

Mexer tudo, de forma a envolver todos os ingredientes.

Rectificar de sal.

Deixar cozinhar mais um pouco até o arroz cozer.

Servir de imediato o arroz que deve ficar aguado/malandrinho, termos que usamos cá no norte!

 

O arroz  seguinte já foi preparado duma forma diferente

 

 

Fiz umas pequenas alterações à receita

 

 

Não incluí os pimentos, nem tomate, mas acrescentei um molho de espigos de couves (ou seja, grelos de couves), que foram previamente bem lavados. 

 

 

 

 

 

Em vez de vinho branco, usei tinto, o que alterou um pouco a cor dos bocados de bacalhau.

Juntei-os ao mesmo tempo que juntei a água à calda do arroz.

Deixo algumas imagens.

 

 

 

 

Então... ?

 

BOM APETITE!...

BOM PROVEITO!...

BOM APROVEITAMENTO DE SOBRAS DE BACALHAU!...

 

 

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


bolo de maracujá

por Tina, em 23.01.13

 

Com um tempo tão cinzento, tão chuvoso, tão frio,  que se faz sentir nesta Janeiro de 2013, só apetece mesmo ficar no quentinho de nosso lar - e ao lanche saborear um boa fatia de bolo confeccionada por nós acompanhada duma chávena ou duas de chá bem quentinho!

Então, surgiu-me a ideia de "inventar" uma receita dum bolo que se preparasse depressa e com alguns ingredientes que tivesse na despensa...

Abri o armário e vi uma lata de leite de coco, outra de polpa de maracujá, açúcar, farinha, fermento em pó...

Abri o frigorífico e vi ovos, manteiga, iogurte de maracujá...

Então, pensei que misturando um pouco destes sabores com açúcar, farinha e ovos daria um belo bolo húmido, como eu gosto.... no liquidificador, tudo muito bem misturado.

E mãos à obra... toca a ir para a cozinha ...

Liguei o forno a 200º, enquanto preparava tudo.

 

8 ovos inteiros

2 xícaras de chá de açúcar

2 xícaras de chá de farinha

1 colher de sopa de fermento

3 colheres de sopa de leite de coco

3 colheres de sopa de polpa de maracujá

3 colheres de sopa de iogurte de maracujá

2 colheres de sopa de manteiga

 

 

 

 

Juntei todo estes ingredientes dentro do copo misturador (do liquidificador) e liguei a máquina até obter um creme espesso, homogéneo.

Untei uma forma redonda com manteiga e polvilhada de farinha.

Verti o preparado dentro da forma e levei ao forno pré aquecido a 180º.

Cozeu rapidamente - verifiquei com o teste do palito.

 

 

Deixei arrefecer e de seguida desenformei.

 

 

 

 

 

 

 Provei e estava óptimo... macio, fofo, húmido, não muito doce, com um trago a maracujá...

 

 

 

 

 

Pena ter sido confeccionado com ovos normais, pois se fossem caseiros a cor seria mais apelativa...

 

 

 

 

 

Comi uma fatia com um chazinho bem quentinho... BOM...muito BOM!

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

 

 

 

 

 

 

4 ovos

 5 cenouras médias descascadas e cortadas às rodelas

1 xícara de chá de manteiga

2 xícaras de chá de açúcar

2 xícaras de chá de farinha (pode-se roubar uma colher de sopa)

1 colher de sopa de fermento em  pó

Raspa da casca de 1 laranja

 

 

Levar todos estes ingredientes ao liquidificador até se obter um creme homogéneo.

De seguida untar uma forma com manteiga e polvilhar de farinha.

Verter o preparada para dentro  e levar ao forno pré aquecido a  180º.

Cuidado, pois coze num instante - verificar a cozedura do mesmo com um palito

 

Retirar do lume quando pronto e deixar arrefecer.

Quando no prato de servir, cobrir se pretender com a cobertura de chocolate.

Eu aprecio o chocolate quente - acabadinho de fazer…

 

 

 

Modo de preparação da Cobertura de chocolate

 

Num tacho, levar ao lume até engrossar os ingredientes abaixo:… (até o creme levantar fervura, pois ele quente não chega a engrossar o suficiente - só engrossa depois de arrefecer um pouco).

 

1 colher de sopa de manteiga

½ xícara de leite (pode ser um pouco menos quantidade de leite)

8 colheres de sopa de chocolate em pó

2 colheres de sopa de açúcar

se gostar - 1 colher de chá de canela em pó

 

 

Quando conseguir um creme espesso, cobrir o bolo todo.

Eu não salpiquei, mas pode salpicar o bolo com raspa de casca de laranja.

 

 

Servir com um chazinho a gosto ou quiçá outra bebida quente… ou gelada…depende da estação do ano!

 

BOM APETITE!

 

 

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)