Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



12239507_1082615478415815_8887893551811758364_n[1]

 

500 g de chuchus

220 g de açúcar

1 pau de canela

2 colheres de sopa de coco ralado

raspa de 1 limão

1 colher de sopa de vinho do Porto

3 colheres de sopa bem cheias de farinha

2 colheres de chá de fermento

3 ovos inteiros

 

 

12241730_1082614975082532_2998678520797901350_n[1]

Ter o forno pré aquecido a 180º.

Cozer os chuchus descascados e sem caroço em água e sal.

Quando cozidos, retirar da água e passar a varinha até obter um creme.

 

12235104_1082614861749210_8743270716555540288_n[1]

Levar ao lume a ferver durante cerca de 20 minutos, a mistura do açúcar, pau de canela, raspa de limão e vinho do Porto.

Acrescentar a polpa de chuchu  e envolver tudo muito bem.

Reservar enquanto arrefece.

Quando frio, juntar os ovos inteiros, a farinha com o fermento, o coco ralado e mexer muito bem para envolver todos os ingredientes.

Untar uma forma de tarteira ou redonda, baixa, com manteiga.

( Esta queijada eu preparei numa forma com buraco no meio para experimentar).

Polvilhar de farinha.

De seguida, passar a forma por água quente, voltar a polvilhar de farinha e sacudir ate sair o excesso.

Repetir com água quente e farinha a mesma operação até obter uma película que forre a forma, de forma a formar uma massa protetora duma queijada.

Repete-se as vezes que se quiser, sendo a última de farinha.

Verter o preparado na forma e levar ao forno durante  30 minutos.

Quando cozido, deixar arrefecer um pouco antes de desenformar.

Ao desenformar, fazê-lo com cuidado, para não desfazer a massa, que deve ficar crocante e que envolve a queijada.

 

Se preferir, também poderá confeccionar pequenas queijadinhas em vez dum bolo de queijada. 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)


Compota de chuchu

por Tina, em 15.10.09

 

 

 

 

1 kg de chuchu (peso sem casca e caroço)

3 quartos de kg de açúcar = 750 g

1 pau de canela

1 casca de limão

1 cravinho da Índia

 

 

Cortam-se  os chuchus em quartos, descaroçam-se,  limpam-se  de casca e lavam-se.

Ter em atenção aos que têm picos.

Se não quiser usar luvas, pode sempre, com a mão esquerda segurar o chuchu com um pano e com a direita a faca.

Pesa-se de seguida.

 

 

 

Reduzem-se os chuchus em Juliana com o utensílio próprio, (podem ver o utensílio no slideshow incluído neste post, ao fazer um clique com o rato no texto, na frase "compota de chuchu", escrito a encarnado), o mesmo que utilizamos para a cenoura.

Junta-se o chuchu com o açúcar num tacho e envolve-se tudo, até o açúcar ficar dissolvido.

 

 

 

Acrescenta-se a este preparado o pau de canela, a casca de limão e o cravinho.

Mistura-se tudo muito bem.

Reserva-se  durante alguns minutos, até obter líquido.

 

 

 

De seguida, leva-se ao lume brando e vai-se controlando sempre a cozedura, assim como mexendo com a colher.

Quando estiver no ponto certo, retira-se do lume e guarda-se a compota de chuchu em frascos próprios.

Para não ganhar bolores, pode polvilhar-se a parte de cima com um pouco de açúcar e fechar em frascos hermeticamente.

 

Atenção:  Para se saber o ponto certo, retira-se uma pequena porção para um prato e deixa-se arrefecer um pouco.

Com um garfo, tentamos "abrir estrada", e quando o conseguirmos e  estiver com consistência de compota, (sem ficar dura), já se encontra  confeccionada.

 

 

 

Ter em atenção, pois se passar  o ponto exacto, ficará dura e impossível de ser utilizada.

 

O sabor e aparência desta compota é muito idêntica à compota de gila (ou chila), acreditem....!

E muito mais fácil de se confeccionar, isto é, sem o problema de se obter uma compota com sabor a peixe, como por vezes acontece, ao confeccionar a de gila, se não se souber exactamente o que fazer para isso não acontecer.

 

Oportunamente farei a de gila e trá-la-ei aqui, prometo!

 

 

 

(Tina)

 

 

 

BLUMEN

Autoria e outros dados (tags, etc)